segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Folhinha nº 519 de 16 a 22 de janeiro 2017

Folhinha boletim interparoquial nº 519 de 16 a 22 de janeiro 2017
Paróquias de:
- Divino Salvador de Nogueiró,
- Santa Eulália de Tenões,
- S. Pedro de Este
Intenções das missas e informações das 3 paróquias



quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Discurso do Chefe Nacional Ivo Faria na Tomada de Posse 7 janeiro 2017

Gostaria de começar por saudar todos os presentes nesta cerimónia, quer nesta Casa que nos acolhe, quer nos diversos pontos do país, através das redes sociais e internet.

É para nós uma emoção grande poder ter o vosso testemunho neste momento tão importante para as nossas vidas e para o nosso CNE.
Obrigado.

Muitas vezes nos perguntaram,
Porquê? O que vos leva a este caminho de serviço?

Uma das Frases que mais me marca e que foi decisiva na escolha desta equipa, é esta passagem da carta de S. Paulo aos Romanos:

“Pois assim como em um corpo temos muitos membros, e todos os membros não têm a mesma função, assim também nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e cada membro está ligado a todos os outros. Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada.” Rom 12, 4-6

Na verdade, não fui apenas eu que os escolhi, fomo-nos escolhendo uns aos outros, quando nos fomos aceitando como companheiros de caminho;
Quando não nos conhecemos ainda bem, há sempre um vínculo mútuo de confiança que estabelecemos ao convidar e ao aceitar o convite.

Todos temos uma história, um conjunto de experiências e de vivências, que nos vão construindo, vão moldando o que somos e o que pensamos.


As nossas motivações podem dizer-se em 3 palavras:

Em primeiro lugar:
Porque queremos ser fiéis à história do nosso CNE, aos que nos precederam, ao trabalho de renovação e de crescimento da ação pedagógica, que está sempre no centro da alegria do trabalho que fazemos. Foi por isso que escolhemos, para nomear o projeto, “Geração Futuro”, colocando-lhe 2 tónicas:
·         Na Ação (que se constrói do diálogo franco e fraterno, na ambição de um impacto indelével nas nossas crianças, adolescentes e jovens, e dos nossos adultos voluntários)
·         e no Tu (este TU que é o nosso próximo, procurando ver nele, em cada um deles, um pouco do Homem Novo).

Porque preferimos Agir, mais do que prever, e no encontro dessa ação com o Tu, encontrar o Eu (este eu que se constrói com o seu próximo e com Deus, num caminho de serviço à comunidade). O pórtico vai lembrar-nos, diariamente, da necessidade de estarmos sempre disponíveis para acolher o Tu, e para sair ao seu encontro. “Entra e deixa a porta aberta”, foi o mote com que nos reunimos aqui hoje.

Importa, por isso, mais do que perguntarmo-nos “qual o futuro para as nossas crianças e os nossos jovens?”, ser ação com a procura da resposta à pergunta “Que crianças e jovens queremos para o futuro?”

Pode parecer um pouco pretensioso, mas a intenção é outra, a de - afirmando a nossa intenção pedagógica como centro da tal ação - nos colocarmos ao serviço daqueles que verdadeiramente ajudam, todos os dias, a concretizar a resposta àquela pergunta: nós, os dirigentes, adultos voluntários que diariamente trabalham, lado a lado, com as crianças e com os jovens, na incansável e sempre inacabada construção de um mundo melhor.


A segunda motivação prende-se com o caminho que queremos trilhar. Foi por isso que estabelecemos, desde o início, um conjunto de 6 eixos, transversais na ação:
O Programa Educativo, a Capacitação dos nossos Adultos, a Comunicação, a Simplificação dos Processos, a Representação Externa e o Envolvimento.

Estes eixos vão para além das individualidades que constituem a equipa e das suas secretarias, exatamente porque é nesse trabalho e desse trabalho em equipa que resultará o sucesso da nossa ação. Serão transversais a todos.


A terceira motivação: e a razão pela qual escolhemos, desde cedo, o Lais de Guia, para nos lembrarmos que o projeto terá que ser feito no plural, no nós. Daí o Nós que unem. Queremos que o caminho seja feito com as regiões. As 20. E com os nossos agrupamentos todos, incluindo Macau, Genebra e Zurique. E que seja o caminho que as 20 regiões definam, em conjunto, na concordância sobre a relevância dos temas, das estratégias e metas. Somos, por isso, todos necessários.

Sabemos que este desafio, da unidade, não será fácil, nunca é.
E também não o podemos confundir com unanimidade. Queremos e precisamos acolher as vozes da diversidade, para construir um consenso. E é por isso que dissemos, várias vezes, que queremos que os nossos chefes regionais se sintam unidos e comprometidos com este desígnio. É por essa razão, que hoje oferecemos a mesma anilha que usamos e que, simbolicamente, nos compromete com essa confiança de, na frontalidade e na lealdade que nos deve caraterizar, podermos discutir abertamente o que nos preocupa, o que nos divide, e o que nos une. Também incluímos nesta equipa alargada, os presidentes dos restantes órgãos nacionais.

Gostávamos que o mesmo pudesse seguir-se para os diversos níveis da estrutura, procurando dar um sentido ao caminho, que o simplifique, que o aproxime dos agrupamentos, das unidades e dos escuteiros. Nós que unem todo o CNE.

Uma palavra também aos representantes das organizações civis com que  nos relacionamos:
Do Governo aos eleitos das autarquias locais, dos organismos, organizações e instituições com quem trabalhamos à sociedade em geral, queremos agradecer a confiança que, ao longo de todos estes anos vêm depositando em nós e no trabalho que realizamos, queremos reforçar as pontes, os nós que nos unem, no desenvolvimento de profundas parcerias, em prol da educação continuada dos nossos jovens e das nossas crianças.
Os nossos 1031 agrupamentos, as nossas estruturas de núcleo e regionais, bem como a Junta Central, todos nós, estamos – estou certo – preparados e comprometidos em, de mãos dadas, acolher, dinamizar, e porque não liderar, iniciativas e projetos ao serviço do desenvolvimento das nossas comunidades, nas suas mais diversas abordagens, no respeito pelos princípios que nos orientam. Importa, pois, dar sentido e eficiência a esta proximidade, aliando-nos no serviço e potenciando o impacto que sabemos ser capazes, juntos. Como dizia SS o Papa Francisco na sua Carta Encíclica: LAUDATO SI’:

231O amor, cheio de pequenos gestos de cuidado mútuo, é também civil e político, manifestando-se em todas as ações que procuram construir um mundo melhor. O amor à sociedade e o compromisso pelo bem comum são uma forma eminente de caridade, que toca não só as relações entre os indivíduos, mas também «as macrorrelações como relacionamentos sociais, económicos, políticos»”

À Conferência Episcopal Portuguesa, aos Senhores Bispos, Párocos, Assistentes dos nossos agrupamentos, queremos vincar o sentido de manter a porta do nosso coração aberta ao amor de Cristo, bem como trabalhar na Igreja que somos, para cada vez mais ajudar as crianças e os jovens a encontrar o seu caminho para frente, em direção a Jesus, o Homem Novo.

Aos nossos escuteiros: lobitos, exploradores/moços, pioneiros/marinheiros e caminheiros/companheiros, quero dizer-vos que é por vós, será sempre em vosso benefício, que nortearemos o nosso trabalho, a nossa entrega, a nossa energia, a nossa paixão por este movimento genial que Baden Powell, o nosso Fundador, criou, que o Pe. Jacques Sévin construiu Escutismo Católico, e que D. Manuel Vieira de Matos e o Monsenhor Avelino Gonçalves, fizeram nascer, nesta mesma região, em 1923.
Sois por isso, somos todos nós, fiéis depositários desta história e co-construtores do seu futuro, que se faz caminhando todos os dias. Estou certo que estamos à altura, cada um e cada uma de nós, deste enorme desafio.

Não poderíamos terminar sem expressar 3 agradecimentos: em primeiro lugar, aos que nos antecederam, pelo serviço generoso que prestaram, que agradecemos e a partir do qual nos propomos fazer caminho. Obrigado!

Em segundo lugar, à equipa Todos: pelos trilhos que partilhámos e pelas ideias que discutimos, importantes no Enriquecimento do projeto que será de todos nós.
Obrigado!

Aos nossos agrupamentos e às nossas famílias, que abdicam de um pouco (talvez bem mais do que um pouco) de nós, para que possamos também dedicar o nosso melhor para o oferecer ao serviço de Deus, da Igreja, do Escutismo e das nossas Comunidades.

Que Maria nos ajude, e que, com Inácio de Loyola, Isabel de Portugal, S. Nuno de Santa Maria e S. Jorge, possam caminhar lado a lado connosco, com o todo o CNE, em direção aos outros, e neles, a Cristo.

Muito obrigado.

Tomada de Posse da Junta Central do CNE
Sé Primacial de Braga, Catedral de Santa Maria
7 de janeiro de 2017
Ivo Faria, Chefe Nacional


Folhinha nº 518 de 9 a 15 de janeiro 2017

Folhinha boletim interparoquial nº 518 de 9 a 15 de janeiro 2017
Paróquias de:
- Divino Salvador de Nogueiró,
- Santa Eulália de Tenões,
- S. Pedro de Este
Intenções das missas e informações das 3 paróquias





segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Cabaz de Natal 2016 - Número sorteado

Informamos que o número sorteado do nosso Cabaz de Natal 2016 calhou ao número 262 (duzentos e sessenta e dois).
Agradecemos a todos quantos colaboraram comprando as nossas rifas, OBRIGADO


Folhinha nº 517 de 2 a 8 de janeiro 2017

Folhinha boletim interparoquial nº 517 de 2 a 8 de janeiro 2017
Paróquias de:
- Divino Salvador de Nogueiró,
- Santa Eulália de Tenões,
- S. Pedro de Este
Intenções das missas e informações das 3 paróquias




segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Folhinha nº 516 de 26 de dezembro de 2016 a 1 janeiro 2017

Folhinha boletim interparoquial nº 516 de 26 de dezembro de 2016 a 1 janeiro 2017
Paróquias de:
- Divino Salvador de Nogueiró,
- Santa Eulália de Tenões,
- S. Pedro de Este
Intenções das missas e informações das 3 paróquias





quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Natal és tu quando..... "Papa Francisco"


No Natal costuma haver muito barulho…
…Mas é necessário fazer silêncio para ouvir a voz do AMOR!
NATAL és tu, quando te dispões, todos os dias, a nascer de novo deixando Deus entrar no teu coração!

O PINHEIRO DE NATAL és tu, quando com a tua força e coragem resistes aos ventos e dificuldades da vida!
AS DECORAÇÕES DE NATAL és tu, quando as tuas virtudes são cores que enfeitam a tua vida!

A LUZ DE NATAL és tu, quando a tua vida de bondade, paciência, alegria e generosidade consegue ser luz que ilumina o caminho dos outros!

O ANJO DE NATAL és tu, quando consegues entoar e cantar a mensagem de paz, justiça e amor para todo o mundo!

A ESTRELA DE NATAL és tu, quando consegues guiar alguém até à alegria do encontro com Jesus!

OS REIS MAGOS és tu, quando consegues dar o melhor de ti mesmo a todos sem distinção!

A MÚSICA DE NATAL és tu, quando vives em harmonia interior e espalhas harmonia à tua volta!
O PRESENTE DE NATAL és tu, quando consegues comportar-te como verdadeiro amigo e irmão ou irmã de qualquer outro ser humano!

O CARTÃO DE NATAL és tu, quando a tua bondade está escrita no gesto de amor que ofereces ao outro!

“VOTOS DE FELIZ NATAL” és tu, quando perdoas, restabelecendo de novo a paz e concórdia, mesmo a custo do teu próprio sacrifício!

A CEIA DE NATAL és tu, quando sacias com o pão da esperança qualquer pessoa necessitada a teu lado!

A NOITE DE NATAL és tu, quando consciente, humilde e silenciosamente, recebes o Salvador do Mundo no teu ser.

UM MUITO FELIZ NATAL para ti e a todos e todas aqueles e aquelas que desejam e procuram assemelhar-se a este NATAL!


Adaptado por P. Carlos Alberto Nunes, MCCJ, a partir das intervenções do Papa Francisco 
publicação original por 

A Chama da Paz já se encontra connosco

A nossa candeia foi ontem, 14 dezembro, acesa na Cerimónia Regional que teve lugar em Areia de Vilar - Barcelos. 

Agora é a nossa vez! é a nossa vez de partilhar esta chama tão frágil mas ao mesmo tempo poderosa pelo que representa e transmite aos corações de quem a recebe. Uma chama que foi acesa na gruta da natividade em Belém e caminha de mão em mão sem nunca se apagar.
Convidámos-te a estares connosco na cerimónia de partilha quer em Nogueiró quer em Tenões, para também tu acolheres esta chama de Paz, mas não deixes que brilhe só para ti, partilha-a

Participa também na nossa campanha "Dezembro Solidário" contribuindo com alimentos.


sabe mais sobre a Luz da Paz de Belém, passo a passo 2016: LINK

domingo, 11 de dezembro de 2016

Folhinha nº 514 de 12 a 18 dezembro de 2016

Folhinha boletim interparoquial nº 514 de 12 a 18 dezembro de 2016
Paróquias de:
- Divino Salvador de Nogueiró,
- Santa Eulália de Tenões,
- S. Pedro de Este
Intenções das missas e informações das 3 paróquias





segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Folhinha nº 513 de 5 a 11 dezembro de 2016

Folhinha boletim interparoquial nº 513 de 5 a 11 dezembro de 2016
Paróquias de:
- Divino Salvador de Nogueiró,
- Santa Eulália de Tenões,
- S. Pedro de Este
Intenções das missas e informações das 3 paróquias






domingo, 4 de dezembro de 2016

Resultados Eleitorais Junta Central, Conselho Fiscal, Junta de Núcleo

Realizaram-se hoje 4 de dezembro as eleições para os órgãos nacionais do CNE, ficam aqui os resultados, ainda que provisórios, bem como para a Junta de Núcleo de Braga



Resultados eleitorais para a Junta de Núcleo de Braga:
Votos Sim 262
Votos Não 14

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Dirigente do C.N.E., quem és tu ?



Dirigente do C.N.E., quem és tu ?
(uma reflexão do Padre Ângelo Ferreira Pinto1 - dezembro 1996)



… Enviados de Jerusalém pelos importantes de então, sacerdotes e levitas fizeram a João

Baptista uma pergunta fundamental na vida de cada ser humano; uma pergunta que os outros nos fazem e que nós, antes de mais ninguém, devemos fazer a nós próprios e dar-lhe uma resposta verdadeira e corajosa. A pergunta é esta: “ Quem és tu?” Da resposta dada a essa pergunta depende a nossa vida e, porventura, a dos outros.

João Baptista respondeu com denodo e sem rodeios, primeiro pela negativa, depois pela positiva. Disse: “Eu não sou o Messias”, nem Elias, nem qualquer outro profeta. Sou simplesmente uma voz, aquela voz que clama, ainda que no deserto, e ninguém a queira ouvir. Eu sou a voz que clama e proclama uma mensagem e um aviso: “Endireitai os caminhos do Senhor”.

A mensagem foi proclamada, o aviso estava lançado. Aos que escutavam restava agora a incumbência de ouvir bem, compreender, interiorizar e executar.

Pouco antes, o autor do Evangelho tinha definido João Baptista como aquele que, não sendo a luz, vem dar testemunho da luz. Há no entanto, um pintor célebre que o representa de dedo indicador apontado a Jesus.

João Baptista é isto mesmo: uma voz que clama no deserto, um dedo indicador que aponta para Jesus, alguém que dá testemunho da luz.


… Agora peguemos nós na pergunta e voltemo-la para nós próprios: - E tu, quem és?

Que resposta vamos dar a esta pergunta? Ela é muito importante e dela depende a consciência ou inconsciência com que construímos a vida e ajudamos a construir ou a destruir a dos outros.



3. … Como dirigente no C.N.E., “quem és tu?”

a) –Como João Baptista, és um dedo acusador e denunciador de situações da crise de valores que atinge a sociedade actual com um reflexo nefasto na alma e no comportamento dos jovens, de acordo com a expressão da Exortação Pastoral da nossa Conferência Episcopal com o título – O Escutismo, Escola de Educação. Assim se lê no seu número primeiro: “Várias análises sociais chamam a atenção para a crise de valores da actual cultura massificada: o hedonismo, o culto do corpo e da aparência exterior, o prevalecer dos direitos individuais sobre os deveres, a tentação do dinheiro fácil, a febre do consumismo, o imediatismo, a tendência para o erotismo e para o luxo. Este ambiente cultural favorece o aparecimento de um tipo de pessoas com algumas características predominantes: a superficialidade, o narcisismo, a frivolidade, o vazio de referências éticas, a contestação da autoridade, a permissividade moral.

“De muitos lados se faz ouvir o alerta sobre esta crise de valores, muita gente se preocupa seriamente com o vazio de ideias e de projectos na vida das pessoas, designadamente dos jovens e as consequências negativas que brotam desse vazio.” (Exortação Pastoral da Conferência Episcopal do Escutismo – O Escutismo, Escola de Educação – 1995)

O Dirigente do C.N.E. que o seja de corpo inteiro e de alma comprometida, não pode deixar de ser aquele dedo acusador e denunciador de tais situações, bem como alguém que denuncia os silêncios cobardes, demolidores e comprometedores.

b) – Igualmente o Dirigente tem obrigação de olhar para dentro da sua Associação e de denunciar situações e intencionalidades que nada têm a ver com o escutismo proposto pelo C.N.E. – Escutismo Católico Português. Novamente cito a já referida Exortação Pastoral no seu número 10, onde se lê: “Seria um empobrecimento grave ver no Escutismo apenas os aspectos exteriores e deixar na sombra os valores humanos e cristãos que constam da sua proposta original e que o tornam uma escola de formação humana e cristã com grande actualidade. De igual modo, importa ter consciência da actual tendência laicista que ameaça desligar o Escutismo da sua matriz cristã e da sua intencionalidade, colocando em risco mesmo os valores humanos tão apreciados no projecto educativo desde Movimento”.

c) Não basta, no entanto, que sejas o dedo acusador e denunciador. É preciso que seja o dedo indicador da verdade fontal do Escutismo Católico Português e que indiques para o corajoso regresso à limpidez e transparência das origens.

Assim reza a referida Exortação Pastoral no seu número 3: “A fé ilumina o projecto educativo de Baden-Powell e oferece-lhe uma consistência mais sólida, identificando e enformando a dimensão espiritual que lhe é implícita. De facto, esta é enriquecida pela adesão ao Evangelho e pelo seguimento de Jesus Cristo, tornando-se apta para responder aos anseios mais profundos do coração dos jovens e potenciando o Escutismo católico para ser um instrumento privilegiado de proposta de fé e de evangelização dos mais novos.”



4. … Deste modo, tu, Dirigente do C.N.E., tens de ser um outro João Baptista que aponta decididamente aos jovens a direcção de Cristo – o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Conforme diz a mesma Exortação Pastoral no seu número 5: “O ideal cristão não é apenas um conjunto de verdades e de valores. É, antes de mais, o encontro e a descoberta de uma pessoa viva, Jesus Cristo, fonte e fundamento destes valores.” “O Escutismo católico encontra em Jesus Cristo uma referência concreta e um alicerce transcendente para o caminho que propõe. Procurem, pois, - prossegue a Exortação – os assistentes e os dirigentes do C.N.E. ajudar todos os escutas no conhecimento mais profundo e na adesão mais convicta ao mistério de Jesus Cristo.”



5. … Quem és tu, caro dirigente? – És, tens de ser, isto mesmo: um dedo que aponta, por um lado, males a evitar e, por outro, o caminho a percorrer. O Caminho é Cristo, pois Ele mesmo diz: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”. (Jo 14, 6)

És, tens de ser, o dedo amigo que aponta o verdadeiro amigo – Jesus Cristo.

És, tens de ser, uma voz que anuncia, clama, proclama e aclama Jesus Cristo, o verdadeiro amigo dos jovens que nunca falta ao encontro com Ele marcado.

És, tens de ser, alguém que dá testemunho da luz maravilhosa que é Cristo. Para isso tens, tu também, de te deixar enamorar por Cristo, metê-lo na tua vida e deixar que no teu rosto se possa descobrir o seu rosto. Será assim transparente a tua vida, firme e entusiasmante a tua fé.

A fé não se ensina, vive-se. Deixa-se que ela tome conta de nós, inspire os nossos pensamentos, as nossas decisões e os nossos actos e faz-se com que ela se deixe viver. Os jovens gostam de aprender, mas a melhor lição é aquela que se lhes apresenta viva na nossa vida.


6. … Afinal “quem és tu”, caro dirigente do C.N.E.?

Aquilo mesmo que acabo de te dizer: dedo que aponta Jesus Cristo, voz que clama para O anunciar, testemunho d’Aquele que é a luz do mundo e o amigo do homem.

Consegues rever-te neste espelho?

Afinal… “quem és tu?”


Padre Ângelo Ferreira Pinto
Dezembro de 1996


____________________________

1O Pde Ângelo Ferreira Pinto foi assistente Regional do Porto e faleceu numa sexta-feira, 30 de Janeiro 1997, em Fátima, quando participava num encontro nacional de Assistentes do CNE.

domingo, 27 de novembro de 2016

Folhinha nº 512 de 28 de novembro a 4 dezembro de 2016

Folhinha boletim interparoquial nº 512 de 28 de novembro a 4 dezembro de 2016
Paróquias de:
- Divino Salvador de Nogueiró,
- Santa Eulália de Tenões,
- S. Pedro de Este
Intenções das missas e informações das 3 paróquias




domingo, 20 de novembro de 2016

Luz da Paz de Belém - Passo a Passo 2016

actualizado em 18/12/2016 20:15h - 2201v

Há mais de dois mil anos, nasceu em Belém uma Luz que encheu de esperança toda a Humanidade. Hoje o mundo vive entre conflitos, guerras e egoísmos que nos fazem esquecer a mensagem de paz e amor que Jesus nos deixou.

A iniciativa da Luz da Paz de Belém, surgiu como um programa de beneficência com o nome Luz na Escuridão, dedicado a apoiar crianças necessitadas na Áustria. Desde então, todos os anos, uma criança oriunda do norte da Áustria recolhe a Luz na gruta da Natividade em Belém, onde Jesus nasceu, e leva-a para a Áustria onde esta é partilhada numa grande cerimónia ecuménica realizada em Viena.

Delegações escutistas e guidistas de toda a Europa participam na celebração de Viena para levar a Luz aos seus respectivos países, como uma mensagem de Paz. Nas suas terras, as Guias e os Escuteiros partilham a Luz e levam a Luz a outras igrejas, casas particulares, hospitais, residências de idosos, prisões, lugares públicos e de importância cultural e política ou a qualquer lugar onde seja apreciado o seu significado.


fica aqui o registo DO PERCURSO: (iremos actualizando)

Melanie Walterer de 12 anos foi a criança escolhida para recolher em Belém a Luz da Paz




20/11/2016 - É acesa na Gruta da Natividade em Belém, a candeia que transportará a Luz da Paz para Viena (Austria).
a Luz da Paz de Belém, foi acesa na Gruta da Natividade, por Melanie Walterer uma criança de 12 anos, que se deslocou até Belém juntamente com um grupo de 130 peregrinos

Melanie na recolha da chama,  na gruta do nascimento de Jesus.

Video 1
22/11/2016 - Luz da Paz de Belém chega a Viena - Austria - num voo das Linhas Aéreas Australianas
30º aniversário do projecto "Luz da Paz de Belém"




07/12/2016 - Partida de Portugal do Contingente do CNE à  Austria - Para recolher a Chama





10/12/2016 - Partilha Mundial da Luz em Viena - Austria - Igreja Ortodoxa Síria de Mor Ephrem













 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban

 © Michael Lucks _ Rudolf Klaban




o Regresso



10/12/2016 - Contingente Regional de Braga para Recolha da Luz  - Partida para Évora




11/12/2016 - 17h - Partilha Nacional da Luz da Paz de Belém - Região de Évora



























delegação da Região de Braga na Cerimónia Nacional




delegação regional com o chefe nacional, Norberto Correia


14/12/2016 - 21h:30h - Partilha Regional na Região de Braga da Luz da Paz de Belém - Mosteiro de S. Salvador de Vilar Frade em Areias de Vilar, Barcelos.










foto: departamento comunicação JR Braga


OUTRAS REGIÕES:
11/12/2016 - 21h:00h - Partilha Regional na Região de Setúbal
12/12/2016 - 21h:30h - Partilha Regional na Região do Porto da Luz da Paz de Belém - Sé Catedral do Porto
16/12/2016 - 21h:00h - Partilha Regional na Região de Lisboa da Luz da Paz de Belém - Sé Primacial de Lisboa


17 e 18 /12/2016 - Partilha nas Paróquias de Nogueiró e Tenões, pelos Escuteiros de Nogueiró


17 /12/2016 - Partilha da Luz da Paz de Belém na Paróquia de Tenões.






18 /12/2016 - Partilha da Luz da Paz de Belém na Paróquias de Nogueiró